domingo, 1 de março de 2009

Ser mulher...

Ser mulher é de facto especial.

Ser mulher significa ser sensível e forte ao mesmo tempo, significa ser pilar e elemento estruturador e estrurante de uma família. Ser mulher é ser fonte de afecto, é ser colo e ombro. Ser mulher é ter o poder de moldar as gerações.

Ser mulher é ser capaz de albergar o milagre da vida, de transformar células num novo ser. É algo poético, ondulante que tem correspondência nas curvas do corpo, na suavidade da pele, na beleza de um corpo. É leveza e beleza.

Ser mulher significa ser amante, mãe, profissional, conjungar um conjunto de papeís, sem perder identidade. É olhar pelo outro, muitas vezes esquecendo-se de si. É ser altruísta.

Ser mulher é ser capaz de accionar inteligência, racionalidade e emoção, num equilibrio instável e dificil de conseguir. É trabalhar muito, é esforçar-se por quase toda a humanidade. É cair em lágrimas, e esboçar um sorriso.

Ser mulher é ser capaz de ler o rosto de alguém, sem que se tenha de proferir uma simples palavra. É estar sempre atenta e continuar a dar atenção, a quem muitas vezes nem sequer nos vê.

Ser mulher é isto tudo e competir num mundo liderado por homens.

É bom ser mulher.

Greatings
NSAS

1 comentário:

José disse...

A mulher é de facto especial. Pelo menos para os homens, isso é garantido. Desde logo, pela ligação que temos à nossa mãe. É especial por muitos outros motivos que nem vou aqui discriminar, até porque podia ser mal entendido. Mas concordo que merecem o reconhecimento de terem vindo a ser capazes de assumir um lugar que estupidamente vos foi "negado" nos primórdios (em algumas civilizações ainda hoje...). A luta das mulheres para terem iguais oportunidades num mundo dominado pelo género masculino é digna de registo e apenas me congratulo por estarem no bom caminho. Não tenho a menor dúvida que um mundo mais equilibrado nesse aspecto será um mundo melhor.
Mas queria também deixar o ponto de vista do outro lado, sem ir minimamente contra o que disseste, e também correndo o risco de ser mal interpretado, o que nestas coisas até é fácil de acontecer.
O homem também tem que ser forte, pois se não o for é rejeitado. Ser homem "implica" forçosamente ter que ser forte. Mas isso só não chega, tem de ser forte mas justo, ser capaz de ter sabedoria para poder disrcernir o correcto do incorrecto, o que implica ser sensível e não apenas tomar decisões porque pode. Ser homem é também ter a responsabilidade de ser um abrigo, um porto de conforto e equilibrio, muitas vezes sem "poder" mostrar que também vacila. Como todos. Somos todos humanos e todos vacilamos. Mas muitas vezes não o podemos mostrar. Ser homem hoje em dia implica também muitos sacrificios, conjugar o profissional com o pai e o marido, o amante e confidente, o amigo e o professor. A ideia que os homens são básicos irrita-me tanto quanto a ideia que as mulheres devem é estar na cozinha, atrás de um avental. Os homens são complexos, mais do que muita boa gente pensa, ainda que acredite que as mulheres o são mais. A capacidade de leitura dos homens é muitas vezes subestimada e a capacidade de alterar o rumo das coisas também. Para os homens os limites existem mas não são vistos como dogmas. Existem, mas muitas vezes estão lá para ser ultrapassados. E isso é uma das coisas que faz andar o mundo para a frente. E o homem é também capaz de olhar para si, admitir que errou e procurar reparar os seus erros. E os homens também choram, acho que esse mito já era...

Tudo isto num mundo em que os homens não podem viver sem as mulheres e onde muitas vezes o mais dificil é compreendê-las. E ser compreendido. Isso é que já é mais dificil, né?

É bom ser homem ;)